10 anos depois, Ruanda é de novo casa para rinocerontes negros

rinoceronte negro

Corria o ano de 2007 quando o Ruanda deu a conhecer ao mundo que, devido à caça furtiva, os rinocerontes negros tinham desaparecido completamente do país. Dez anos depois há boas notícias, já que duas dezenas destes animais estão a caminho do parque nacional de Akagera, no Ruanda.

Para os primeiros dias de Maio está agendada a passagem de duas dezenas de rinocerontes negros da África do Sul, onde estão neste momento, para a região de Akagera.

Classificado como espécie em risco de extinção na lista da UICN- União Internacional para a Conservação da Natureza, o rinoceronte negro é um dos animais que mais tem sofrido à mão de caçadores furtivos. Por volta de 1970, o parque de Akagera era abrigo para cerca de 50 rinocerontes, número que ficou reduzido a zero em pouco mais de três décadas.

Todos as precauções e cuidados especiais estão a ser tomados para que a reintrodução destes animais seja um verdadeiro sucesso. Uma equipa de monitorização e protecção dos animais, bem como a mais recente tecnologia, está a postos para a chegada dos vinte rinocerontes negros.

Dados divulgados pela African Parks, associação de defesa animal local, a população mundial de rinocerontes negros da África Oriental está reduzida a 5 mil animais, com apenas 2 mil a viverem livres no seu habitat natural.

Foto: Xavier Caballé / via Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php