Ninguém gosta de deitar comida fora, sobretudo quando ela esteve – ou ainda está! – em perfeitas condições para ser ingerida. No entanto, esta é uma realidade em quase todos os lares portugueses, por várias razões. Fique com 10 dicas para tentar reduzir este desperdício ou, preferencialmente, erradica-lo completamente.

1.Faça compras inteligentes

Como? Planeando a ementa semanal. É a mesma dica de sempre, por isso, é bem capaz de estar na altura de a seguir e mudar a sua vida. Ao planear as refeições, quando no supermercado, vai comprar apenas aquilo que precisa para cozinhar. Poupa tempo, dinheiro e evita o desperdício de alimentos.

2.Faça uma lista de compras

Mais uma dica básica, mas que funciona: antes de sair para as compras, confirme o que tem no frigorífico e na despensa e faça a lista de acordo. Assim não corre o risco de chegar a casa com três alhos franceses e dar de caras com quatro no frigorífico.

3.Na dúvida, congele.

Planeou as compras, fez a lista, mas chegou ao supermercado e lá estava o aipo, o funcho e os espargos que nunca encontra à venda, não resistiu e comprou. Fez bem. Mas agora chega a casa e não sabe o que lhes fazer? Enquanto não encontra a receita certa, congele tudo. O mesmo vale para o que sobra das refeições, mesmo esse bocadinho de carne pode servir para um empadão.

4.Organize de forma eficiente

É muito importante que dê especial atenção à organização do frigorífico, tendo cuidado com o que deve ou não lá colocar mas, especialmente, arrumando os ingredientes de forma a que não fiquem esquecidos ou se estraguem. Tenha, por exemplo, os frescos arrumados ao nível dos olhos para que não fiquem perdidos.

5.Compre menos, mais vezes

Já sugerimos várias vezes para reduzir o número de visitas ao supermercado para assim poupar. Mantemos a dica mas, para evitar o desperdício de alimentos, esta não se aplica quando se tratam de frescos. Compre fruta e legumes semanalmente, de acordo com a sua ementa mensal. Para manter a poupança, fuja do supermercado e das suas armadilhas para gastar mais do que precisa, procure uma frutaria local.

6.Experimente um prato novo: os restos de ontem

Sim, restos de ontem. Uma boa forma para evitar o desperdício de alimentos passa por reaproveitar mas faça-o de forma inteligente. Se vai apenas aquecer o que sobrou do almoço, não tem muita graça. Transforme! Com o arroz branco do almoço faz um arroz de forno com carne e legumes. O frango de churrasco serve umas deliciosas sandes, um empadão ou bolonhesa. Com o peixe que sobrou faça uma massada ou uma açorda.

7.Dê uma nova vida à fruta

Recebeu muita fruta de uns tios que têm uma quinta ou comprou mais do que aquilo que precisa? Está a estragar-se? Rápido! Aproveite o que ainda está bom para batidos ou sumos de fruta, um bolo, compotas, geleias ou chutney, gelado, sorvete ou mousse de fruta. Não faltam receitas pela internet fora!

8.Faça uma lista: comer isto

Coloque na porta do frigorífico, uma lista com os ingredientes que tem que comer o quanto antes. Legumes ou fruta frescos, carne que já está congelada há muito tempo, produtos que estão a passar da validade ou sobras que têm que ser aproveitadas. Isto implica que ande sempre atento à despensa e ao frigorífico, mas também é uma forma eficaz de evitar desperdiçar alimentos.

9.Congele sobras para caldos

As folhas verdes do alho francês, aquele pedacinho da cenoura que já não consegue ralar, os caules das ervas aromáticas e todos os pequenos pedaços de legumes que não consegue aproveitar ou não lhe servem para determinada receita, vão dar um excelente caldo de legumes que depois pode usar em sopas, risotos ou estufados, por exemplo. Guarde tudo num saco hermético no congelador até ter quantidade suficiente para fazer um caldo.

10.Faça mais uma lista: o que foi para o lixo

Se as restantes dicas não foram suficientes para o convencer a ter mais cuidado com o desperdício alimentar, esta talvez consiga. Acha que não deita assim tanta comida fora? Pois bem, faça uma lista de toda a comida que colocou no lixo durante um mês, quinze dias ou uma semana. Depois faça as contas.

Foto: via Creative Commons

Deixar uma resposta