Omã: temporariamente verdejante

Todos os anos, a região de Salalah, na província de Zufar, Omã, é testemunha de uma transformação climática inigualável noutras partes do mundo. Do dia para a noite, literalmente, as temperaturas descem dos 50 para os 20º e o clima desértico transforma-se num ambiente fantasmagórico de névoa, espessa neblina e chuva.

A mudança afecta 250 quilómetros de terra, mas áreas vizinhas permanecem inalteradas durante este período, que se estende de Julho a Setembro.

De Outubro a Maio, a região permanece seca e, por isso, sem lagos ou rios. No entanto, durante esta época de chuvas, até quedas-de-água podem ser vistas na paisagem local.

“As encostas florestadas da escarpa são uma maravilha global. Durante nove meses por ano, elas são estéreis e sem folhas. Na época das monções, porém, elas tornam-se verdes, ricas, uma floresta sub-tropical densa, com vegetação e humidade”, explicou à CNN o arquitecto paisagístico Andrew Anderson, que trabalha no Jardim Botânico de Omã.

De acordo com o responsável, por vezes o nevoeiro é tão denso que não se consegue ver a pessoa que fala à nossa frente. “Este é o único local do mundo onde esta floresta húmida e verde se transforma num ambiente árido e seco. E vice-versa”, continuou.

Durante estes três meses, Salalah é um santuário para todo o tipo de animais, incluindo os camelos.

Deixar uma resposta