Amanhã, dia 16 de Maio, a Quercus, o MARE-ISPA, o Aquário Vasco da Gama e a Faculdade de Medicina Veterinária vão proceder à libertação no meio natural de cerca de quatrocentos peixes reproduzidos em cativeiro, numa acção que ocorrerá no rio Alcabrichel, em Ramalhal, Torres Vedras.

Os peixes a libertar pertencem à espécie ruivaco-do-oeste (Achondrostoma occidentale), espécie em perigo de extinção. Estarão presentes nesta acção de repovoamento a Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Dra. Célia Ramos, e o Presidente da Autarquia de Torres Vedras, Dr. Carlos Bernardes.

Esta libertação de peixes ameaçados de extinção surge no âmbito do projecto ”conservação ex situ de organismos fluviais”, dinamizado pela Quercus, Aquário Vasco da Gama, MARE-ISPA e Faculdade de Medicina Veterinária, e que conta como parceiro a Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos. O projecto está em curso desde 2008, com o objectivo de reproduzir e manter populações ex situ de algumas das espécies de peixes de água doce mais ameaçadas no nosso país, e foi este ano seleccionado como projecto vencedor da iniciativa “Compensação Carbónica” da CTT Expresso.

No âmbito deste projecto, a reprodução de peixes em cativeiro é desenvolvida em instalações do Aquário Vasco da Gama, situado em Oeiras, e no Posto Aquícola de Campelo, estrutura disponibilizada pelo Município de Figueiró dos Vinhos e gerida pela Quercus, no âmbito de uma parceria estabelecida.

No final do processo de reprodução e ambientação em cativeiro, os repovoamentos de peixes são efectuados em troços dos rios de origem (dos indivíduos inicialmente capturados para reprodutores) que apresentem características favoráveis à sobrevivência e reprodução dos peixes. Sempre que possível, estes troços encontram-se associados a projectos de recuperação de linhas de água, envolvendo cidadãos e entidades que localmente efectuam uma monitorização mais ou menos formal destas bacias hidrográficas.

Foto: via Creative Commons

Deixar uma resposta