Tráfico ilegal: escamas de pangolim avaliadas em 1,9 milhões de euros

pangolim

Uma enorme quantidade de escamas de pangolins, avaliadas em cerca de 1,9 milhões de euros, foram apreendidas pelas autoridades da Malásia. Os responsáveis acreditam que as escamas deste que é o mamífero que mais sofre com as consequências do contrabando de animais, tinham vindo originalmente de África.

As escamas de pangolim foram descobertas num armazém de carga no aeroporto de Kuala Lumpur, depois de uma denuncia feita às autoridades locais. No local, a 2 de Maio, foram encontrados oito sacos com escamas de pangolins, com cerca de 408 quilogramas, vindos do Gana. Apenas dois dias depois, no mesmo local foram encontrados mais dez sacos, com pouco mais de 300 gramas, que tinham saído ilegalmente do Congo com destino ao Quénia.

A caça a este animal está proibida internacionalmente pelo comité da Convenção Internacional sobre o Comércio de Espécies Ameaçadas (CITES) desde Setembro de 2016. No entanto, o pangolim continua a ser alvo de uma intensa procura por parte dos caçadores. Muitos curandeiros continuam a acreditar que as escamas destes animais possuem características especiais, muitas vezes associadas a crenças locais, como o combate ao mau-olhado.

O pangolim continua na lista das espécies dos mamíferos em alto risco de extinção, lançado pela CITES.

Foto: via Creative Commons 

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php