Forest City

Estes chineses não estão nada loucos. Primeiro, o compromisso de lutar na primeira linha contra o aquecimento global. Depois, a crescente aposta em energias renováveis. Agora, uma cidade como nunca se viu no mundo. O que vêem não passa de um projecto, mas é mesmo para levar a cabo e tem de estar pronto até 2020. E se há quem consiga fazer uma cidade em três anos são precisamente os chineses, que não são nada loucos.

A Forest City foi desenhada pelo atelier Stefano Boeri Architetti, de Milão, cidade onde também desenhou a Vertical Forrest, duas torres de 110 e 76 metros, desenhadas com 900 árvores e 20 000 plantas. Agora, aplicou o mesmo princípio mas a toda uma comunidade desenhada de raiz. A cidade vai albergar 30 000 pessoas, e todos os edifícios e ruas estarão “forrados” de verde, com praticamente um milhão de plantas de 100 espécies diferentes e  40 000 árvores. Anualmente, será capaz de produzir não apenas 900 toneladas de oxigénio, como de absorver praticamente 10 000 toneladas de dióxido de carbono (CO2) e 57 toneladas de outros poluentes.

Será, portanto, a primeira cidade no mundo onde se exclama: ar puro! Até porque não se limita apenas a não acrescentar poluição, mas consegue efectivamente combatê-la. Quem quiser pensar numa cidade do futuro, não precisa de olhar mais longe.

A Forest City foi encomendada pelo município de Liuzhou, na província de Guangxi, no sul da China, e será construída nos arredores daquela cidade. Vai incluir áreas residenciais, comerciais, duas escolas e um hospital. Naturalmente, as fontes de energia serão renováveis, geotérmica e solar, com painéis no topo dos edifícios. Para circular, uma estrada conectada corre ao longo da “floresta”, para receber veículos eléctricos.  

Foto: Stefano Boeri Architetti

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta