Segundo o relatório anual sobre a qualidade das águas balneares publicado pela Agência Europeia do Ambiente (AEA), existe um número inédito de locais europeus que cumpre as normas de excelência da qualidade das águas balneares. Isso significa que a maioria das zonas balneares está isenta de poluentes nocivos para a saúde humana e para o ambiente.Logo, perfeitamente seguras para tomar banho.

Mais de 85 por cento das zonas balneares europeias monitorizadas satisfaziam os mais rigorosos critérios tendo obtido a classificação de “excelente”. Paralelamente, mais de 96% das zonas analisadas satisfaziam também os requisitos mínimos, e a classificação de “suficiente”.

O relatório da AEA e da Comissão Europeia confirma a tendência positiva das águas balneares europeias, algo que se vem verificando ao longo dos últimos 40 anos. O relatório compila análises de amostras de água recolhidas em mais de 21 000 zonas balneares costeiras e interiores e dá uma boa indicação de quais são os locais onde se poderá encontrar a melhor qualidade da água neste verão.

O link para aceder ao mapa europeu da qualidade das praias.  

Assim, em cinco países, 95 % ou mais das águas balneares foram classificadas como sendo de “excelente” qualidade. São eles: Luxemburgo (todas as 11 zonas balneares), Chipre (99 % dos locais), Malta (99 %), Grécia (97 %) e Áustria (95 %). Por outro lado, os países com maior número de zonas balneares com água de qualidade medíocre são Itália (95 zonas balneares ou 1,8 %), França (82 zonas balneares ou 2,4 %) e Espanha (39 zonas balneares ou 1,8 %). Do estudo conclui-se ainda que, em 2016, apenas 1,5 % (1,4 % para os países da UE) das zonas balneares foram classificadas como tendo qualidade da água “medíocre”.

Em Portugal, existem 493 zonas balneares “excelentes”, 56 “boas” e 13 “suficientes”. No entanto, quatro foram classificadas como “más”, como poderá ver aqui.

Foto: Creative Commons

Deixar uma resposta