Na foto, Luís Araújo, do Turismo de Portugal, assina o Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo perante o olhar de Ana Maria Costa Freitas, Ana Mendes Godinho (secretária de Estado do Turismo), Joaquim Mourato e António Ceia da Silva (Turismo do Alentejo)

Terminou esta semana o primeiro Ciclo de Conferências Green Project Awards 2017, sob a égide do “Turismo Sustentável”. Foi o primeiro de um conjunto de cinco ciclos a ocorrer este ano para assinalar a 10ª edição da iniciativa Green Project Awards (GPA). O encontro teve lugar em Évora, onde foi criado o Observatório do Turismo Sustentável do Alentejo, um projecto que visa “recolher e analisar informação sobre o sector e a sua sustentabilidade social ou ambiental, a nível regional, não só do lado do turista, mas também do lado das empresas e das comunidades locais”, como referiu o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.

O memorando foi assinado em conjunto com António Ceia da Silva, presidente do Turismo do Alentejo que, por seu turno, destacou ser “essencial haver observatórios de turismo para se saber porque é que o turista nos visita: o que pretende, quais as suas motivações, do que gostou e do que não gostou. Só assim, se pode melhorar a oferta todos os dias”. E nisso a sustentabilidade é decisiva: “Os projectos têm de ser pensados e idealizados por décadas”.

O Green Project Awards (GPA) é uma iniciativa da Agência Portuguesa do Ambiente, da Quercus e da agência de comunicação GCI (que detém também o portal Green Savers), em colaboração com o Turismo de Portugal. No encontro ficou ainda decidido estudar a extensão deste observatório a outras entidades regionais de turismo de Portugal num futuro próximo.

Também presente na conferência, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, distinguiu ainda o caminho que Portugal está a trilhar nesse sentido: “Temos números muito positivos. Em relação ao ano passado crescemos 70% na procura fora da época alta, triplicámos o número de dormidas das zonas menos turísticas, o que significou mais 14,2% de emprego criado em 2016. Portugal é exemplar porque está a conseguir transformar o turismo nas regiões menos turísticas. O turismo tem de ser o motor para a sustentabilidade ambiental, económica e social”. Por isso, revelou à margem da Conferência que o Projecto Valorizar, dedicado a iniciativas de diversificação do interior, vai ser reforçado em 10 milhões de euros.

Deixar uma resposta