TubaroesPontasNegras

O Oceanário de Lisboa introduziu dois novos tubarões de-pontas-negras-de-recife no aquário central, que assim se juntam a outros três exemplares da mesma espécie. Este tubarão é um nadador rápido e activo, preferindo águas pouco profundas e recifes de coral. No Hawai é muitas vezes encarado como um “aumakua”, ou espírito guardião e protegido pelas populações nativas. 

Os dois tubarões que podem agora ser vistos em Lisboa nasceram no Sea Life Centre Oberhausen, na Alemanha, em 2015 e chegaram ao nosso oceanário em Setembro de 2016. Desde então têm estado ao cuidado de biólogos, garantindo o período de adaptação às novas condições e o crescimento saudável. E foi apenas depois de atingirem 1,20m de comprimento e 9kg de peso que os tubarões foram transferidos para o aquário central, onde se juntaram aos seis companheiros e a dezenas de outras espécies.

Para Núria Baylina, curadora e directora de conservação do Oceanário de Lisboa, “a equipa de biologia continuará a aprofundar o conhecimento sobre os tubarões-de-pontas-negras-de-recife, divulgando informação científica sobre esta espécie promovendo a sua conservação”. Porque, desde 1998, o Oceanário de Lisboa coordena e participa em programas de monitorização e reprodução de espécies, inclusive entre aquários, essenciais para o controlo das populações e da conservação da biodiversidade dos oceanos.

Foto: Pedro Pina/Oceanário de Lisboa

Deixar uma resposta