O projeto InteGrid procura testar, no terreno, soluções inteligentes para as redes elétricas, permitindo por exemplo aos consumidores finais gerirem melhor os seus consumos, ou que as redes de energias renováveis giram melhor os sistemas de armazenamento e optimizem a produção.  Tal como referiu Pedro Godinho Matos, coordenador do InteGrid e consultor na EDP Distribuição, “um dos benefícios directos é para os consumidores domésticos, que vão poder ter acesso a mais informação sobre o seu comportamento enquanto consumidores e vão dispor de ferramentas que lhes permitem melhorar a sua eficiência energética e interagir de forma mais activa. A solução que estamos a desenvolver integra conceitos de comunidade/rede social e outras tecnologias, tais como a produção de base fotovoltaica e armazenamento local”.

No âmbito deste projecto, financiado pela comissão europeia em 11,3 milhões, vão ser instalados cinco distribuidores inteligentes, cabendo três a Portugal, ao passo que  Suécia e Eslovénia instalam um cada. E estão 14 entidades envolvidas a nível europeu, sendo que quatro parceiros são portugueses: a saber: EDP Distribuição, que tem a coordenação do projecto, Águas de Portugal, New R&D – Centre for New Energy Technologies e INESC TEC – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência, que funciona como coordenador técnico.

Deixar uma resposta