circo

“Nenhum tigre, leão, urso ou elefante sofrerá mais na Romênia para a diversão das pessoas”. Magor Csibi, director da World Wildlife Fund Roménia, estava feliz pelo Parlamento de Bucareste ter aprovado, esta terça-feira, um projecto de lei que proíbe a utilização de tigres, leões, ursos e outros animais selvagens nos circos da Roménia.

Os circos terão 18 meses para fazer cumprir esta lei aplicável a qualquer animal, nascido em cativeiro ou capturado na natureza, devendo transferir os mesmos para reservas ou zoológicos. Os proprietários de circos que não cumpram as novas regras podem enfrentar acusações criminais, e uma pena de prisão de um ano. Ainda assim, em determinadas situações, os circos ainda poderão ser autorizados a usar animais como aves exóticas ou golfinhos. 

A decisão do parlamento acontece após uma campanha pública liderada pela WWF para proibir o uso de animais treinados em circos – que obteve mais de 60.000 assinaturas -, contribuindo para pressionar as autoridades da Roménia.

Seis países da UE já implementaram a proibição total de animais selvagens em circos, enquanto cerca de 15 outros países têm restrições parciais, entre os quais se inclui Portugal.

Foto: Creative Commons

Deixar uma resposta