Na última quinta-feira de cada mês, a Ciência Viva organiza um ciclo de conversas inspiradas nos objectivos para o crescimento sustentável da ONU. O próximo Dia C acontece a 29 de Junho, e tem como tema “Limpar o oceano: redução do lixo marinho”. As oradoras convidadas são Paula Sobral (investigadora do MARE, auxiliar no Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente da Universidade Nova de Lisboa  e presidente da Associação Portuguesa do Lixo Marinho) e Sandra Castro (directora-geral da Extruplás, empresa que recicla, recolhe e recupera os plásticos).

Como é referido no texto de apresentação deste debate: “O lixo marinho são todos os materiais de origem humana – pedaços de vidro ou de metal, beatas, partículas de plástico – que se acumulam de forma persistente, flutuando à superfície, suspensos na coluna de água ou depositados nos fundos oceânicos e zonas costeiras. É um fenómeno sem fronteiras: o lixo concentra-se mais nalgumas zonas do globo, mas também anda disperso em micropartículas nas nossas águas (e está, por exemplo, presente no sal que comemos).

O lixo marinho é das principais ameaças à saúde dos oceanos: alastra pela cadeia alimentar, contaminando organismos com compostos tóxicos; causa a morte de animais, sufocados por partículas ou enredados em objectos maiores; interfere com a biodiversidade, prejudicando a sobrevivência de algumas espécies e fomentando o crescimento de outras populações; pode inviabilizar pescas, transportes, turismo, lazer e outras actividades humanas.”

Vão debater-se todas estas questões e também tentar perceber o que pode ser feito para lidar com o lixo de origem humana acumulados no oceano e zonas costeiras. Quais as medidas exequíveis para conter este problema? O que pode ser feito a montante, na produção e consumo de massa? Como estão a ser envolvidas as populações e as diferentes partes interessadas?

O Dia C realiza-se no dia 29 de Junho, das 19h30 às 21h00, no Pavilhão do Conhecimento – Centro Ciência Viva. Aproveite também para visitar a exposição “Um oceano sem plástico” e ficar a conhecer os efeitos dos plásticos no oceano.

Inscrições gratuitas aqui.

Deixar uma resposta