Cidade Matarazzo

Fotos: Rosewood São Paulo

Jean Nouvel é um dos arquitectos mais célebres do mundo, já reconhecido com o prestigioso Pritzker Prize, em 2008. A diversidade de seus projectos ilustra bem a sua capacidade de adaptação ao meio ambiente onde são inseridas as suas construções. Ora, um dos seus projectos mais recentes é a muito mediatizada Cidade Matarazzo, em São Paulo. Trata-se de um projecto de reconversão do antigo complexo do Hospital Matarazzo, edifício emblemático desta cidade brasileira datado do início do século XX, que vai transformar-se num oásis verde nesta imensa cidade brasileira, incluindo um hotel de luxo, lojas, restaurantes, cinema, teatro, escritórios comerciais e espaço para exposições.

Situada nas imediações da Avenida Paulista, a Cidade Matarazzo tem como projecto principal a Torre Rosewood que presta homenagem à floresta da Mata Atlântica. “Do harmonioso encontro entre o traço inovador do premiado arquitecto francês Jean Nouvel, a exuberância da natureza brasileira e a efervescência da cidade de São Paulo brota uma sofisticada floresta vertical habitável de 100 metros de altura”, refere em comunicado o Grupo Allard, holding do francês Alexandre Allard, também proprietário da marca de moda Balmain e do hotel Royal Monceau, em Paris.

O majestoso prédio da antiga maternidade irá sediar o primeiro hotel da rede Rosewood Hotels & Resorts na América do Sul. Com seis estrelas, o hotel vai ter os interiores desenhados pelo também célebre designer Philippe Starck, oferecendo 151 quartos e 122 suites residenciais (feitas sob medida para cada cliente), dois restaurantes, um bar, um caviar lounge, três piscinas, ginásio e spa.

O projecto é ambicioso. A torre é um edifício-paisagem, repleto de jardins suspensos com flores e frutos, revestida por mais de 400 diferentes brises de madeira e repleta de terraços verdes. “Quando visitei o terreno pela primeira vez, em 2008, fiquei impressionado com a grandiosidade das árvores e sua diversidade. A ideia desta torre é desenvolver-se em redor das que já existem e enriquecer o espaço”, explicou o arquitecto francês em conferência de imprensa. 

O complexo conta com 30.000 metros quadrados, repletos de alamedas, pavilhões históricos restaurados e pátios internos com jardins salpicados por esculturas e fontes criadas por artistas brasileiros, e inclui 25.000 metros quadrados de espaço comercial, rodeado por 15.000 metros quadrados de vegetação – um exuberante jardim composto por uma variedade de árvores comuns à Mata Atlântica ameaçada, como Jatobás, Sibipirunas, Pitangueiras, Canelinhas, Jacarandás e Goiabeiras.

Com inauguração prevista para 2019, a Cidade Matarazzo vai reflectir as qualidades oníricas essenciais do Brasil através do elogio à sua cultura e às suas raízes, reunindo num espaço feito de História e no meio de uma selva urbana, inovação e criatividade, natureza e tranquilidade, prédios baixos e arranha céus. 

Deixar uma resposta