Plásticos no mar

Assinala-se hoje, 3 de Julho, a 8ª edição do Dia Internacional Sem Sacos de Plástico (International Plastic Bag Free Day). Neste dia, dezenas de organizações e centenas de cidadãos em todo o mundo anunciam medidas para aumentar a consciencialização sobre o impacto ambiental e os perigos dos sacos plásticos de uso único e promover soluções mais sustentáveis.

Em Portugal, a ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável veio defender, em comunicado, que a taxa actualmente aplicada aos sacos de plástico deve ser extensível a todos os sacos de plástico, independentemente da sua espessura, bem como a sacos de papel, sempre que estes se destinem a uma única utilização.

Para a associação ambientalista, “a introdução de uma taxa ambiental sobre os sacos de plástico leves em Fevereiro de 2015 demonstrou que taxar este tipo de produtos supérfluos é eficaz”, pelo que uma redução mais global do uso deste tipo de resíduos “contribuirá, não apenas para reduzir o seu impacto no meio marinho, mas também para a redução do seu envio para aterro, em linha com o que se preconiza no Plano de Acção para a Economia Circular da União Europeia”.

Em finais de 2016, de acordo com a APED (Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição), estimava-se que teria havido uma diminuição de cerca de 71% na utilização de sacos de plástico. Ainda assim, são várias as lojas de roupa, sapatarias, brinquedos, farmácias, que continuam a oferecer aos seus clientes sacos de plástico e/ou de papel, uma prática que “não desincentiva a proliferação de plásticos, induzindo no consumidor a continuação do uso do saco não reutilizável”. 

Numa altura em que a poluição do meio marinho com plásticos adquiriu proporções verdadeiramente preocupantes nos últimos anos (notícias recentes apontam para que em 2050 exista mais plástico que peixe nos nossos oceanos), esta e outras iniciativas para redução dos níveis de poluição dos mares são bem-vindas e urgentes. Até porque, como relembra a Zero, “a Europa (considerando a União Europeia, Noruega e Suíça) é um dos principais potenciadores do lixo marinho nos oceanos, sendo um dos maiores produtores, consumidores e exportadores de plástico e de resíduos de plástico do mundo”. De acordo com um estudo da PlasticsEurope, só em 2014, a Europa produziu 20% do plástico mundial, equivalente a 59 milhões de toneladas, das quais 39,8% se destinam a embalagens (nas suas diversas formas, incluindo sacos de plástico), tendo sido produzidos 25,8 milhões de toneladas de resíduos de plástico, dos quais 30,8% foram depositadas em aterro. Estima-se que todos os anos os europeus utilizem mais de 100 mil milhões de sacos de plástico.

Foto: Creative Commons

 

Deixar uma resposta