rio Caño Cristales

A Colômbia é o segundo país com maior biodiversidade do mundo a seguir ao Brasil. Aqui encontram-se verdadeiras maravilhas da Natureza, como o Parque Nacional Natural de Chiribiquete, quase o tamanho da Bélgica, que é a maior área protegida da Amazónia. Conhecido pelas suas formações rochosas inusitadas e arte indígena antiga datada de 18.000 a.C., o parque abriga 41 espécies de répteis, 49 anfíbios, 145 aves e pelo menos 13 mamíferos ameaçados, bem como quatro povos indígenas que ainda vivem em isolamento.

Não muito longe, seguindo o rio Guayabero, chegamos ao vizinho Parque Nacional Serrania de la Macarena, que protege uma cordilheira independente que liga três das cinco regiões colombianas: a Amazónia, os Andes e as planícies orientais. É aqui que se situa o rio Caño Cristales, que muitos dizem ser “o rio mais bonito do mundo”, também conhecido como o “rio de cinco cores”. A explicação é simples. As suas águas límpidas e cristalinas onde crescem plantas aquáticas que sol ganham uma variedade de cores (entre amarelo, azul, verde, vermelho e preto), dando o rio uma aparência mágica, com destaque especial para a Macarenia clavigera uma planta da família das podostemáceas próprias de climas tropicais e subtropicais que dá ao rio uma estranha cor fúcsia.

Além do espectáculo natural de cor, a beleza cénica do rio é composta por vários poços e pequenas cascatas que se formam em suas transparentes águas, com direito inclusive a corais. Vivem neste habitat inúmeras iguanas, repteis que são capazes de lançar-se ao rio de alturas consideráveis.

Não sendo um rio de grandes dimensões ou com grande curso de água, o Caño Cristales não tem mais de 20 metros de largura e o seu comprimento não ultrapassa 100 quilómetros. Nasce no planalto sul da Serrania de La Macarena, em Meta.

Para chegar ao Caño Cristales é necessário ir até a cidade de La Macarena, e lá apanhar um barco para atravessar o rio Guayabero. Veja mais informações sobre este local único no mundo aqui e espreite a galeria de imagens. 

Infelizmente, este local e toda a região do Parque Nacional Serrania de la Macarena estão cada vez mais ameaçados pela criação de gado, as plantações de árvores de óleo de palma e respectiva desflorestação, sendo que a ameaça mais recente é a chamada “Marginal de la Selva” que irá ligar o Equador, Colômbia e Venezuela, e cuja construção está a provocar inúmeros impactos negativos, ameaçando destruir este frágil ecossistema.

Fotos: Mario Carvajal/Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta