O Serviço Florestal do Oregon, nos Estados Unidos, está a considerar instituir um sistema de licenças que limite o número de visitantes nos cinco parques mais populares do estado.

Segundo um artigo publicado recentemente no The Statesman Journal, o aumento do número de turistas – e os danos ambientais que se seguiram – levaram a agência estadual a propor grandes mudanças na forma como as pessoas têm acesso as áreas protegidas como o Monte Washington, o Monte Jefferson, Three Sisters, Waldo Lake e Diamond Peak.

A história cita um funcionário do Serviço Florestal dizendo que um aumento nas multidões nos últimos anos desencadeou um aumento nos danos ambientais nas áreas – com lixo espalhado, incêndios provocados por fogueiras mal apagadas, vegetação pisada…: “Temos um mandato legal para preservar o carácter selvagem destes lugares especiais. As multidões cresceram até o ponto em que realmente não tivemos escolha”. Como forma de minimizar esses efeitos nefastos do turismo, a proposta em análise exige que alguém que deseje fazer uma caminhada numa destas áreas protegidas precise de comprar uma licença antecipadamente. Dependendo da duração de uma viagem, as licenças poderão custar entre 6 e 12 dólares cada.

Embora a obrigatoriedade de pagar bilhete para entrar em parques nacionais seja bastante comum em estados como a Califórnia ou Washington, os habitantes do Oregon nunca enfrentaram qualquer limitação à entrada em áreas selvagens, seja para fazer caminhadas ou acampar. Na maioria dos casos, as pessoas podem simplesmente entrar num trilho e começar a caminhar.

Foto: Creative Commons

Deixar uma resposta