eucapliptos

Os viveiros florestais em Portugal produzem eucaliptos para plantações ilegais, alerta a Quercus num comunicado emitido hoje. Segundo a organização, os viveiros florestais nacionais “produzem cerca de 30 milhões de eucaliptos certificados por ano, dos quais quase metade são plantas produzidas por empresas do grupo Altri e The Navigator Company”. Mas estes viveiros “vendem também para o mercado geral, abastecendo os proprietários privados, mesmo que estes não tenham autorização do ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e Florestas para efectuar arborizações com eucaliptos”.  

Como “o número de eucaliptos plantados anualmente de forma legal não ultrapassa os 17 milhões. Sobram assim cerca de 13 milhões de eucaliptos (43% do total), livres para venda e consequente plantação, sem que exista qualquer autorização do ICNF”. Sendo assim, a permissão da compra e venda de eucaliptos “deveria existir apenas mediante a apresentação de uma autorização por parte do ICNF”, conclui a Quercus.

Para evitar a continuação das plantações ilegais de eucalipto, “com os impactes nefastos associados às monoculturas”, é fundamental concluir a revisão dos Programas Regionais de Ordenamento Floresta, mas também implementar a fiscalização e o controlo das plantações no terreno,  porque tudo leva a crer que a “não publicação da prometida legislação para restrição à plantação de novas áreas de eucalipto, levará a uma nova corrida à compra e plantação desta espécie florestal, com graves consequências ao nível do ordenamento do território e ao nível da Defesa da Floresta Contra Incêndios”.

Ou seja a organização ambientalista teme que, não sendo aprovada a legislação necessária, a partir de Outubro se voltem a vender e a plantar mais 30 milhões de eucaliptos, metade dos quais ilegalmente, o que para um país com a nossa história recente seria verdadeiramente preocupante.  

Deixar uma resposta