Aves de cidade têm diversidade evolutiva mais pobre

Um estudo recente concluiu que as aves que vivem em meios urbanos desenvolvem-se menos enquanto espécie do que as que têm o seu habitat na natureza.

A conclusão foi tirada a partir do estudo desenvolvido pelo centro de investigação ecológica e florestal espanhol CREAF (Centre de Recerca Ecológica i Aplicacions Forestals).

Liderada por Daniel Sol, esta pesquisa revelou que as aves que vivem nas cidades, pelo facto de viverem em comunidades mais restritas e constantes, não evoluem de forma tão rica. Segundo o investigador, a consanguinidade é o factor que mais contribui para este desenvolvimento a baixa velocidade.

Ao jornal espanhol El Mundo Daniel Sol revelou também que em contrapartida “as espécies que têm parentes evolutivamente distantes são mais sensíveis às perturbações ambientais e toleram mal a vida nas cidades”.

Mas a conclusão do seu estudo, publicado na Ecology Letters, que mais impacto provocou no meio científico, foi a de que “a urbanização provoca uma perda de riqueza nas espécies”.

Foto: via Creative Commons 

Patrocinadores

css.php