As aldeias e vilas abandonadas

Em meados do século passado, muitas aldeias e vilas por todo o mundo foram deixadas para trás por cidadãos em busca de riqueza nas cidades e litoral, no seu país ou noutros com melhores condições.

A Itália não fugiu à regra da migração urbana – que, de resto, ainda persiste em muitos países – o que levou ao abandono de dezenas de aldeias e vilas, algumas das quais históricas. Outras foram abandonadas do dia para a noite, devido a sismos, desabamentos de terras ou batalhas sangrentas – é o caso de San Pietro Infine, situada a 150 quilómetros de Roma e que foi evacuada devido a uma batalha ocorrida em Dezembro de 1943, entre as forças aliadas e alemãs.

Conheça quatro aldeias-fantasma italianas e a razão pela qual assim ficaram.

Apice (fotos 1 a 3)

Situada em Benevento, esta aldeia foi construída durante os gloriosos anos da Roma Imperial e recebeu o nome de um cozinheiro popular à época, Marcus Gavius Apicius. A cidade é um museu a céu aberto da Roma Antiga, com as suas vilas, tabernas e pontes, e era habitada por milhares de pessoas até que um sismo, em 1962, matou 17 dos seus cidadãos e levou o Governo a evacuar os restantes 6.500. O último habitante, um barbeiro, fechou a sua loja em 2012.

Croce (fotos 4 e 5)

Conhecida pelo seu mercado pujante, Croce foi uma das importantes vilas mouras da península italiana, até cair nas mãos do estado papal e começar a acolher monges de todo o país. Com a urbanização, a vila foi perdendo população para outras áreas de Itália e Estados Unidos da América.

Roscigno (fotos 6 e 7)

Situada a sul de Nápoles, a vila de Roscigno é chamada de Pompeia do século XX, uma vez que a sua população evacuada devido  a uma série de desabamentos e inundações. Fundada no século IX, a sua população foi-se habituando aos constantes desastres naturais, mas a primeira grande vaga de migração deu-se em 1902. No final dos anos 50, o Governo ordenou os restantes habitantes a saírem das suas casas.

San Pietro Infine (fotos 8 a 11)

Situada a 150 quilómetros de Roma, a aldeia foi fundada pelos Samnitas, conquistada pelos romanos e finalmente tomada pelos bárbaros germânicos, depois da queda de Roma. Ganhou popularidade no século XIX, como local de estadia de bandidos escondidos da monarquia, e foi abandonada depois da batalha de San Pietro Infine, que durou 15 dias em Dezembro de 1943.

Scoppio (foto 12)

Situada na Umbria, a aldeia foi abandonada nos anos 50 depois de uma série muito intensa de sismos. Uma década antes, milhares já tinham saída para escaparem aos constantes desabamentos de terras.

Deixar uma resposta