As questões ambientais são tema de conversas diárias e uma preocupação crescente para as populações mundiais. Talvez por isso, criativos das mais variadas áreas estejam constantemente à procura de soluções inovadoras, com produtos cada vez mais fascinantes. Desta vez, a novidade é uma camisola que muda de cor e padrão quando por perto há suspeitas de poluição ou radiação.

A ideia partiu de Nikolas Bentel, estilista de Nova Iorque, EUA, que lança para o mercado a colecção Aerochromics. Há três modelos que mudam consoante a ameaça ambiental: uma camisa que altera o padrão na presença de monóxido de carbono, outra que modifica a sua cor quando há partículas poluídas no ar, por exemplo pó em excesso, e por último uma que dá o alerta quando a radioactividade está acima dos níveis seguros.

Mas como é que tudo isto funciona na prática? É simples, partes da camisa estão incorporadas com sais químicos que vão reagir perante as “ameaças”. Quando estes componentes entram em contacto com o dióxido de carbono poluído, os sais emprenhados no tecido da camisa perdem uma molécula que fica de cor preta, o que vai provocar uma mudança visual impossível de disfarçar. Assim que o ar fica limpo novamente, os sais químicos agarram as moléculas de oxigénio e voltam à cor e padrão originais.

Estas camisolas anti-poluição estão equipadas com dois pequenos sensores, que apanham as partículas de poluição em redor, sejam elas pó, fuligem ou fumo.  Ainda um trabalho em desenvolvimento, as camisas Aereochomics são um pouco caras, cerca de €590, mas se dinheiro não é um problema, esta é “a” camisola a usar em países como a China, onde a poluição atinge níveis completamente absurdos.

O vídeo explica como todo o processo acontece.

Foto: Aerochromics