Cientistas criam cortina que se move consoante a luz

Os estores eléctricos parecem coisa de futuro mas, em breve, poderão pertencer ao passado. Isto porque um grupo de investigadores da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, está a desenvolver uma cortina que se abre e fecha em resposta aos movimentos da luz, sem necessidade de sistemas sofisticados de automatização.

As cortinas controladas por iluminação natural estão ainda em fase de projecto e são feitas de um material composto por nanotubos de carbono sobre uma membrana de policarbonato de plástico.

Estes nanotubos têm um diâmetro que corresponde a um nanómetro, ou seja, um bilionésimo de metro. Eles absorvem a luz dentro de frações de segundo e a convertem em calor, que é depois transferido para a superfície da membrana.

A membrana de policarbonato plástico, então, expande-se em resposta ao calor, mas a camada de nanotubos não, fazendo com que o material dobre.

De acordo com um artigo publicado na Nature Communications, esta cortina inteligente tem a vantagem de ser sensível à luz de baixa intensidade. Uma simples lanterna, por exemplo, ou mesmo um rápido ligar e desligar no interruptor já seria suficiente para gerar uma resposta.

Os investigadores de Berkeley acreditam que as cortinas feitas deste material serão o futuro dos edifícios inteligentes e eficientes em energia. E o leitor, acredita nesta solução?

Foto:  Anderson Mancini / Creative Commons

Deixar uma resposta

Patrocinadores