Quando os blogs e agregadores nos deixam dicas para emagrecer, estas são quase sempre focadas no exercício físico e alimentação saudável, mas por vezes parecem tão complexas que nos fazem torcer o nariz.

As ideias que hoje aqui partilhamos, que se baseiam-se nas dicas da escritora Blythe Copeland, não só são de fácil implementação como têm um bónus: todas elas ajudam a preservar o ambiente, nem que sejam através de pequenas acções como deixar o carro na garagem ou adquirir produtos locais.

1. Conduza menos

Para a autora, não é preciso frequentar um ginásio para fazer exercício físico, basta apenas usar menos o carro. Por exemplo, ir a caminhar para o trabalho.

Para quem não pode deixar o carro em casa, Blythe sugere outras acções, como trocar o brunch de sábado ou de domingo por caminhadas ao final da tarde ou usar a bicicleta para pequenas deslocações.

“Mesmo que não se considere um atleta, pequenas caminhadas ou pedaladas suaves vão ajudá-lo a fazer com que as actividades físicas façam parte da sua rotina, enquanto diminuiu a pegada de carbono do seu meio transporte”, diz.

2. Adquira alimentos a produtores locais

“Inclua nas suas refeições alimentos super saudáveis, como brócolos, maçã e quinoa. E faça parte de um programa de apoio à agricultura comunitária para garantir que não irá voltar aos velhos hábitos”, propõe Blythe. Alimentos frescos, ricos em nutrientes e entregues semanalmente em sua casa vão ajudá-lo a descobrir novas receitas e a aprender a gostar de alimentos que nunca escolheria se fizesse compras num supermercado.

Esses alimentos também podem ser adquiridos directamente a produtores locais.

3. Faça refeições vegetarianas

Quem ainda tem dificuldade em incluir frutas e vegetais nas refeições diárias pode tentar uma terceira sugestão de Blythe. O conselho é fazer desses ingredientes os principais do prato, em vez de serem apenas acompanhamentos.

“Substitua a carne por vegetais de baixas calorias, feijão ou alternativas de soja para reduzir a cintura (e os gastos no orçamento) e, ao mesmo tempo, cortar as emissões produzidas pela indústria”, aconselha.

Para quem acha que não consegue comer uma refeição sem carne, a norte-americana sugere pratos suculentos, como uma lasanha vegetariana. Quando não tiver vontade de comer carne, Blythe sugere opções menos agressivas para o ambiente, como carne de animais criados em produtores locais.

4. Tenha cuidado com as calorias líquidas

De nada adianta comer mais vegetais e cortar nos alimentos mais calóricos da sua rotina se continuar a beber refrigerantes. Quando essas bebidas são processadas e vendidas em embalagens individuais, a pessoa ganha quilos a mais, mas também são geradas mais emissões de carbono para a atmosfera e resíduos.

“Em vez disso, opte por uma garrafa reutilizável de água e junte algumas rodelas limão para ter mais sabor”, sugere.

5. Inscreva-se num programa de voluntariado

Fazer parte de uma ONG não é uma das maneiras mais fáceis e rápidas de perder alguns quilos, garante Blythe. Mas as coisas podem ser bem diferentes quando opta por uma causa que requer grandes actividades externas, como plantar árvores, recolher lixo e fazer a manutenção de trilhos. “[Com esta atitude]você estará a ajudar a proteger o ambiente enquanto faz actividade física moderada”, lembra.

A iniciativa é ainda mais produtiva quando a pessoa conhece outras pessoas apaixonadas pela mesma causa, o que aumenta a probabilidade de fazer amigos e de se manter motivado para continuar com as actividades, “mesmo quando o sofá o chama para ver aquela maratona”, acrescenta.

6. Faça uma horta em casa

Outra opção para movimentar o corpo e ajudar o Planeta é fazer uma pequena horta caseira. “Enquanto economiza dinheiro, ainda pode consumir alimentos locais, sazonais e menos calóricos”, afirma a escritora. Isso sem contar as calorias que são gastas enquanto cuida do pequeno jardim.

7. Exercite-se ao ar livre

Quer faça ioga ou corra, o importante é fazer exercício físico ar livre. Isso significa que não irá precisar de gastar energia com máquinas, lâmpadas, ar-condicionado ou outro aparelho de ginásio.

Segundo Blythe, quanto mais tempo estiver em contacto com a mãe natureza, maior será a sua vontade para  protegê-la, já que se trata não apenas do Planeta dos seus netos, mas também do seu espaço de diversão.

Foto: via Creative Commons 

Deixar uma resposta