Descoberta de norte-americano de 14 anos aumenta produção de algas em 500%

As algas são uma fonte inesgotável de biocombustíveis, mas os métodos actuais de produção são caros e demorados – primeiro há que fazer crescer a alga e, mais tarde, extrair os lípidos oleosos e convertê-los em combustíveis.

Foi com esta perspectiva que Gregory Martin, um norte-americano de 14 anos, começou a pensar no assunto, e em pouco tempo, ele descobriu uma forma de aumentar os lípidos oleosos em 500%, utilizando menos passos que outras técnicas e melhorando a produtividade.

“O objectivo desta experiência é explorar a possibilidade de esgotar o nitrogénio de algas do meio para aumentar o rendimento dos lípidos”, explicou o jovem ao Inhabitat. “É uma evolução em relação aos métodos normais que envolvem a colheita das algas e transferi-las para um ambiente sem nitrogénios”. Com a minha técnica deverá ser possível passar por cima desta transferência a fazer crescer a cultura num único meio. Isto reduz o trabalho e custos dos materiais”.

A técnica de Gregory permite à alga permanecer num único meio enquanto consome nitrogénio – este processo é um melhoramento em relação aos métodos normais porque melhora o conteúdo do lípido e, assim, a quantidade de biocombustível produzida.

Os resultados dos primeiros testes são espantosos e muito acima do esperado, conta o Inhabitat. Ao sétimo dia, a cultura tinha aumentado a produção de algas em 300% – ao décimo dia esta percentagem tinha-se alojado nos 500%.

O projecto de Gregory está nos finalistas do Google Science, o que costuma ser uma boa notícia para o seu desenvolvimento futuro.

Deixar uma resposta

Patrocinadores