Desempregados e beneficiários do RSI vão limpar florestas portuguesas

O Governo vai colocar os desempregados e beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) a limpar e vigiar as florestas portuguesas, de acordo com um protocolo hoje assinado pelo ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) e as autarquias.

O programa, chamado Trabalho Social pelas Florestas, conta com 550 acções de prevenção de incêndios, reflorestação e vigilância das florestas do país. Serão chamados 2.000 desempregados e beneficiários do RSI, que deverão ter um papel activo na protecção ambiental, especialmente durante o Verão.

A maior parte dos projetos (77%) contemplados no protocolo prevê a prevenção de incêndios e minimização dos seus efeitos. “Quanto mais estiver integrado o cidadão, mais facilidade terá em criar um conjunto de redes de ligação e oportunidades que venham a surgir no mercado de trabalho”, explicou Mota Soares, citado pelo Dinheiro Vivo.

A iniciativa contará com €500 mil alocado pelo IEFP e com a participação das Câmaras Municipais, que foram as entidades promotoras de 340 projetos aprovados (62%). O Ministério da Solidariedade vai trabalhar em cooperação com a Administração Interna, Agricultura e Mar.

Foto:  USDAgov / Creative Commons

Deixar uma resposta

1 comment

  1. r.

    desculpem lá, eu tou desempregada, mas tenho mais que fazer, ando a fazer as coisas para criar o meu emprego, não tenho tempo para andar a limpar florestas nem transporte para tal. aliás, isso irá tirar-me tempo para o que tenho que fazer, este governo deve achar que quem tá desempregado é uma cambada de inúteis que não servem para mais nada do que para cortar despesas de estado aka aos ladrões que andam a encher o bamdulho à conta dos outros, e esta parece-me uma forma de “trabalhem em troco de um prato de comida” e empobreçam ainda mais para continuarmos a encher o bamdulho à vossa custa, que assim nem têm tempo para pensar.

Patrocinadores