Nenhuma palavra ilustra tão bem os acontecimentos que marcaram 2017 como “incêndios”. Pelo menos foi esta opinião dos portugueses que, numa iniciativa da Porto Editora, escolheram “incêndios” como a palavra que marcou o ano passado.

Com 37% dos votos, “incêndios” foi escolhida por entre hipóteses como afecto, floresta ou vencedor. Na 10º edição da iniciativa “Palavra do Ano”, da Porto Editora, participaram 30 mil portugueses, um número superior à edição de 2016 (25 mil participantes) e 2015 (20 mil).

Entre as dez palavras finalistas, “afecto” arrecadou 20% dos votos, ficando em segundo lugar. Floresta com 14% dos votos, vencedor (8%), crescimento (5%), cativação (5%), desertificação (4%), gentrificação (3%), peregrino (3%) e independentista (1%) preenchem os dez primeiros lugares desta votação.

A organizar esse certame desde 2009, a Porto Editora recolhe as sugestões que, entre Maio e Outubro de cada ano, os portugueses vão deixando no site da iniciativa. À informação aqui recolhida junta-se também uma observação detalhada dos meios de comunicação e redes sociais.

Em 2016, “geringonça” foi tida pelos portugueses como a palavra que melhor ilustrava os acontecimentos desse ano.

Foto: João Nogueira / flickr