Investigadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e do Instituto de Química Orgânica de Xangai, China, descobriram um novo método de quebrar polietileno em combustível líquido e cera, que poderá servir de matéria-prima para vários produtos.

Segundo explica o Smithsonian, os químicos das duas universidades descobriram uma forma de quebrar os elos de ligação do polietileno, um dos plásticos mais comuns do Planeta e que pode ser encontrado em garrafas, brinquedos ou embalagens de cosméticos.

Uma vez que estes plásticos são feitos a partir de petróleo, a equipa de investigadores encontrou uma maneira de os reciclar como combustíveis. “A China tem um problema grave de poluição devido aos resíduos de plástico, e isso levou-nos a desenvolver novas abordagens para resolver este assunto”, explicou o químico Zhibin Guan, da Universidade da Califórnia.

É bastante difícil quebrar o polietileno, uma vez que as suas moléculas são extremamente estáveis. Até agora, os químicos utilizavam o calor intensivo, um processo ineficiente e difícil de controlar, para atingir este objectivo. Assim, Guan concentrou-se na utilização de alcano, um tipo de molécula de hidrocarboneto, para separar as moléculas de polímero em compostos diferentes, a temperaturas mais baixas. Deste processo resultam dos produtos: combustível líquido e cera.

Foto: via Creative Commons