Isópode gigante morreu ao fim de cinco de greve de fome

Um isópode gigante, um crustáceo semelhante a um bicho da conta mas muito maior, foi encontrado morto no seu aquário pelos tratadores. O acontecimento não teria nada de anormal, não tivesse o animal recusado comer durante cinco anos.

Este isópode gigante, chamado de nº1 para ser distinguido dos outros nove isópodes que habitavam o mesmo aquário no Japão, não comia desde Janeiro de 2009, quando comeu um carapau inteiro.

Contudo, para além de ter feito greve de fome durante cinco anos, o animal apresentou um outro comportamento invulgar: enganou o tratador. De acordo com o tratador, Takeya Moritaki, o animal enganou-o, já que, por vezes, o animal fazia que comia ao mover a boca e as patas da frente à volta da comida, para agradar à equipa do aquário. Contudo, o animal nunca engolia a comida.

Moritaki estava a preparar uma cavala para a ração semestral do nº1 e depois de introduzir o alimento no tanque reparou que o isópode ficou imóvel quando a comida entrou no aquário. Apercebendo-se de que algo estava mal, o tratador retirou o nº1 do tanque e verificou que estava morto. O animal fez greve de fome durante cinco anos e 43 dias.

De acordo com os dados disponíveis, este crustáceo foi o animal que esteve em greve de fome durante o maior período de tempo. O nº1 foi autopsiado mas não foi encontrada a causa da morte, mas tudo indica que terá sido devido à greve de fome. O animal vai ser agora congelado para preservação. Porém, os investigadores continuam a estudar o nº1 para perceber porque é que se recusou a comer.

O isópode gigante nº1 foi levado do Golfo do México para o Toba Aquário em Setembro de 2007, medindo 29 centímetros e pesando um quilo. Os isópodes gigantes sãos crustáceos aparentados com os camarões e caranguejos e com os isópodes terrestres (bichos da conta). Pensa-se que estes animais são abundante nas águas frias e profundas do Atlântico, Pacífico e Índico.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php