Uma jovem lince-ibérico foi encontrada morta na zona de Villafranca de Córdoba, Andaluzia, informou ontem o projecto Life Iberlince. Desaparecida deste 26 de Dezembro, quando o seu colar de localização deixou de enviar coordenadas, Niebla foi encontrada baleada, já cadáver.

Filha de Kilimanjaro e Coscoja, esta jovem lince tinha já nascido no Centro de Reprodução em Cativeiro de La Olivilla, em Santa Elena. No início do ano tinha sido devolvida ao seu habitat natural, com os técnicos deste centro a libertarem Niela em Villafranca de Córdoba, a 30 de Janeiro.

Depois de várias análises, a causa de morte de Niebla aponta sem dúvidas que houve acção humana, com o animal a ter mais de 35 chumbos cravados no seu corpo.

Niebla vem assim juntar-se aos números negros desta espécie em 2017, com 30 lince-ibéricos encontrados mortos como consequência da acção humana. Dados da WWF espanhola indicam que 21 animais foram atropelados, enquanto os outros sucumbiram à caça furtiva.

Para Luis Suárez, da WWF Espanha, é da máxima urgência “pôr fim a estes problemas para podermos enfrentar os verdadeiros desafios do futuro da espécie, como são a conservação do coelho-bravo e a conectividade entre as populações dispersas.”

Foto: Manuel Gómez Cristóbal / flickr