Em todo o mundo já só existem 30 vaquitas marinhas, consequência das redes de pesca que as fazem reféns dentro do seu próprio habitat. Num esforço para proteger os últimos animais desta espécie, militares mexicanos fazem agora uma patrulha cerrada ao Golfo da Califórnia, o derradeiro porto seguro desta espécie.

A iniciativa nasceu de uma parceria entre a organização ambiental Sea Shepherd e das forças policiais mexicanas, que unem agora esforços a bordo de embarcações que dia após dia percorrem as águas do Golfo da Califórnia.

Armados e munidos de autoridade para tomar medidas legais contra os pescadores furtivos que minam estas águas, 12 militares passarão a ter poiso fixo a bordo das embarcações da Sea Shepherd. “Esta nova faceta da parceria com o governo surge numa altura em que as tensões estão a aumentar no Alto Golfo da Califórnia. Os pescadores furtivos tornaram-se mais agressivos para com as embarcações da Sea Shepherd, utilizando armas de fogo para deitar abaixo drones e objectos incendiários para intimidar a tripulação”, alertam os responsáveis desta ong.

O projecto surge meses depois do governo mexicano ter elaborado um programa sem precedentes para salvar as vaquitas marinhas, tentando levar o máximo número de animais para uma reserva marinha protegida. Na altura, o plano não correu como esperado, com um dos animais a morrer pouco depois de ter sido capturado.

Foto: via Creative Commons