Durante anos, a zona de Văcărești, a 30 minutos do centro de Bucareste, na Roménia, foi um estaleiro a céu aberto, uma infra-estrutura ligada à rede de abastecimento de água que permaneceu inacabada.

Em 1989, quando foi abandonada, a Natureza chegou-se à frente para invadir o que era seu de origem e hoje Văcărești é uma zona húmida em plena cidade, rodeada por muros de cimento com cinco metros. E é também, segundo o Guardian, o maior parque urbano da Europa, um local com 183 hectares que cresceu sem interferência humana e que em Maio ganhou, oficialmente, o estatuto de área protegida.

“A diversidade da paisagem é fascinante”, escreve o Guardian. “A área a norte é um prado com erva, castanheiros, choupos e olmos. Existem ainda três lagos, que se encontram interligados no centro, onde a vegetação se torna mais densa e característica das zonas húmidas. Existem ainda vários tipos de salgueiros e líricos”, continua o jornal.

Mais de 100 espécies de aves encontram-se em Văcărești, desde patos selvagens a garças, enquanto duas espécies protegidas, tartaruga e bombina, têm sido vistas neste cenário natural com regularidade.

Há 30 anos, Văcărești era mais um dos bairros de Bucareste, construído pelo regime comunista nos pântanos e onde deveriam ter sido instalados vários projectos arquitectónicos, incluindo a sede do Ministério da Justiça e o Tribunal Superior.

Nenhum destes projectos foi completado e, em 1989, a revolução no país colocou-os de parte.