Noruega duplica taxa de carbono à indústria petrolífera. Saiba para onde vai o dinheiro.

A Noruega, o terceiro maior exportador de petróleo do mundo, vai lançar um fundo de €1,2 mil milhões (R$ 3,2 mil milhões) para combater os impactos negativos das alterações climáticas nos países em desenvolvimento.

O fundo será parcialmente financiado pela duplicação da taxa de carbono na indústria petrolífera do Mar do Norte.

O Guardian chama ao plano o “mais radical programa de clima já montado por um país produtor de petróleo” e levará ao aumento da taxa de carbono das empresas de petróleo offshore de €26 (R$ 84) para €55 (R$ 146) por tonelada de CO2 e €6,8 (R$ 17,8) por tonelada de CO2 para a indústria pesqueira.

O fundo irá trabalhar em soluções para mitigar as alterações climáticas, investir nas energias renováveis e segurança alimentar nos países em desenvolvimento.

Em causa estará o investimento de €54 milhões (R$ 143 milhões) no combate à desflorestação em países em desenvolvimento, aumentando para €406 milhões (1000 milhões) o dinheiro já investido.

O Governo de Oslo irá investir €85 milhões (R$ 224 milhões) na compra de créditos de carbono em 2013, para compensar as emissões, e forçar uma nova regulação de edifícios, tornando todas as suas casas neutras em carbono até 2015. O plano prevê ainda a transição dos veículos tradicionais para carros eléctricos.

A Noruega chega a produzir três milhões de barris de petróleo por dia, tendo 51 campos de petróleo e gás activos no Mar do Norte. Segundo os seus governantes, haverá cerca de 7 mil milhões de barris em reservas ainda por descobrir.

Deixar uma resposta