Nos EUA, plantadores de tabaco estão a apostar em biocombustíveis

À medida que a procura por tabaco diminui em todo o mundo, agricultores dos Estados Unidos estão a tentar encontrar uma alternativa rentável ao resultado das suas colheitas, transformando a planta do tabaco em combustível sustentável.

Nos 80 hectares da Briar View Farms em Callands, Virginia, o tabaco é escolhido pelo sabor e altos níveis de nicotina. As folhas de tabaco são plantadas artesanalmente, sendo depois vendidas a elevados preços. Mas num desses hectares, o produto da colheita tem um futuro diferente: é transformado em biocombustível.

“Com a incerteza do tabaco, estamos sempre à procura de novas oportunidades”, conta Robert Mills, agricultor da Briar View Farms, na esperança de ter encontrado na transformação de tabaco em biocombustível a oportunidade para uma vida melhor. Aqui nada se desperdiça, com a planta a ser utilizada na totalidade, folhas e caules incluídos.

Com a procura de tabaco a atingir níveis historicamente baixos, também as grandes companhias e universidades encontram nas plantações de tabaco uma alternativa sustentável na produção de energia. Desde 2009, a companhia petrolífera Tyton BioEnergy Systems juntou-se à Universidade da Virginia e da Carolina do Norte, ambas nos Estados Unidos, e a agricultores de tabaco para encontrar alternativas viáveis. “Estamos a fazer experiências com variedades de tabaco ignoradas há 50 anos pelos produtores, por terem sabores fracos e pouca nicotina”, explica Peter Majeranowski, fundador da Tyton.

Os investigadores estão assim a fazer tentativas selectivas ao aumentar os açúcares presentes no tabaco e melhorar a eficácia desta promissora energia renovável. Além disso, estas novas variedades de nicotina requerem pouca manutenção, são baratas e bem-sucedidas em qualquer sítio.

“Há muita terra a não ser usada em regiões produtoras de tabaco, que não é boa para o cultivo de outras plantas”, diz Majeranowski. “Em vez de plantarem culturas de baixo valor, como o feno, os agricultores podem ganhar mais dinheiro por hectare ao produzir “tabaco de energia”, explica o fundador da petrolífera Tyton ao The Guardian.

Foto: via Creative Commons