Patrick Monteiro de Barros insiste em trazer o nuclear para Portugal

Apesar dos graves acidentes nas centrais nucleares do Japão, Patrick Monteiro de Barros, um dos maiores defensores da construção de centrais nucleares em Portugal, continua a defender esta opção.

“Portugal tem capacidade para ter uma ou duas centrais”, explicou hoje o accionista da Petroplus ao Diário de Notícias.

“A questão central é que, se quisermos ser competitivos e ser um País que produz e que exporta, temos de ter acesso à energia, e nos próximos anos a solução mais competitiva, em termos de preço, mais limpa, em termos de emissões de CO2, e mais segura, é o nuclear”, defende Monteiro de barros.

De acordo com o empresário, a energia nuclear é hoje “a forma mais económica, mais segura e mais limpa de produzir energia eléctrica em grande quantidade”, dando como exemplo as recentes apostas de países como Itália, Finlândia e Espanha – e do Brasil, que vai construir seis centrais nucleares – neste tipo de energia.

“Qualquer país que queira ter acesso a energia abundante deve estudar e eventualmente adoptar esta forma de energia. Não há nenhuma razão, neste momento, que indique que só porque houve este evento no Japão se deve desistir no nuclear”, reforçou Monteiro de Barros.

“[Foi] um evento muito grande, mas teve a sua origem num dos piores terramotos de sempre”, concluiu o empresário, que explica que o debate sobre o nuclear não deve ser “congelado”.

O debate promete continuar. E o leitor, tem opinião formada sobre esta matéria? Deixe-a aqui no ou Facebook.

Deixar uma resposta

5 comments

  1. Nuno

    Nem dá para acreditar como é que alguém tão conhecedor da energia nuclear ao verificar o que está actualmente a acontecer no Japão e tendo como exemplo bem esclarecedor a catástrofe chernobyl venha defender e proclamar que a energia nuclear deva ser uma aposta em Portugal, quando as energias renováveis são ilimitadas baratas seguras é fiáveis no nosso pais, onde podem ser totalmente implantadas além de poderem ser um forte propulsor da economia Portuguesa como produto de exportação.
    Obrigado

  2. Agradecemos o seu comentário, Nuno.

    Cumprimentos,
    Green Savers

  3. David Cordeiro

    Sinceramente, este senhor continua a bater no ceguinho.
    Todos sabemos que a energia nuclear é mais barata; mas eu (e penso que a maior parte da população portuguesa) prefere pagar mais e não ter a espada de Damocles contínuamente em cima da cabeça. ESQUEÇA !!! Centrais nucleares em Portugal só em Cascais !!!

  4. Manuel Antão

    Caro Patrick
    De facto a energia nuclear poderia ser uma solução na vertente económica, mas é realmente um tiro no pé quando olhamos ao perigo constante que uma central deste tipo representa.
    Se a sua empresa quer, de facto, investir em produção de energia barata e limpa, terei todo o gosto em lhe apresentar (bem como a outras empresas ligadas à produção de energia) um projecto que, para além de ser bastante mais rentável que o nuclear, dado o seu potencial ser verdadeiramente inesgotável, este não tem qualquer problema ambiental quer seja em resultado de emissões de co2, pois não necessita de nenhum tipo de combustível, nem sequer nas vertentes paisagística ou sonora.
    Este é um sistema completamente autónomo não dependendo de ventos, caudais ou marés, sendo o seu factor custo/benefício quase inacreditável.
    Se estiverem interessados em analisar este projecto façam-me chegar a vossa resposta através do meu mail, todavia não posso garantir essa mesma análise se entretanto este projecto for negociado em exclusivo ou em parceria com outra empresa. Por este motivo convém que a vossa resposta tenha uma celeridade na medida do vosso interesse neste processo inovador

    Cumprimentos

  5. Manuel Antão

    porque será que quando alguém quer apresentar um projecto de energias limpas e livres de perigos ninguém nos responde?

Patrocinadores

css.php