Grau zero da prevenção dos fogos florestais

O alerta chega-nos da Quercus, que refere que 72 municípios do continente que não têm sequer em vigor o “Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios” (PMDFCI) obrigatório por lei. Trata-se de um quarto dos municípios de Portugal continental que não cumpre as suas obrigações legais mais simples, estando por isso “no grau zero da defesa florestal”.

Com efeito, este plano obriga ao “planeamento e calendarização de acções de silvicultura preventiva (vulgarmente conhecidas por “limpezas”) com o objectivo de evitar que os fogos atinjam grandes proporções e o de proteger eficazmente pessoas e bens” refere também a associação ambientalista.

O mais estranho, e grave, é que na lista dos 72 municípios estão alguns tradicionalmente afectados por fogos, e que neste Verão ficaram bem conhecidos pelas piores razões como Alijó, Fundão, Vila de Rei, Castanheira de Pêra e Pedrógão Grande.

Em todo o continente, apenas 3 distritos (Viseu, Guarda e Portalegre) têm 100 % dos seus municípios com o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios em vigor e operacional.

Municipios com e sem plano1

Além disso, a Quercus alerta ainda para o facto destes planos não estarem disponíveis no site do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), tal como seria obrigatória também, para poderem ser consultados por “todos os cidadãos interessados, para que possam verificar rapidamente e inequivocamente, se estão a ser feitas as obrigatórias reduções de combustíveis junto a estradas, casas e povoações”.

Foto: Wiki Commons / Quercus

Deixar uma resposta

Patrocinadores