Foi lançado em Carcavelos o Fórum Global de Economia sustentável, um evento único que irá reunir em Portugal especialistas e líderes mundiais para tratar as questões da sustentabilidade ambiental, social e económica, e para fazer avançar a Agenda 2030 da ONU e respetivos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Os 17 ODS da Agenda 2030 da ONU representam as prioridades globais assinadas por mais de 190 países em setembro de 2015. São prioridades e aspirações globais para 2030  que requerem uma ação à escala mundial de governos, empresas e sociedade civil para erradicar a pobreza e criar vida com dignidade e oportunidades para todos, dentro dos limites do planeta. E essa é mesmo a ideia chave: a de que o planeta não possui recursos ilimitados e que temos de mudar hábitos para não criar uma catástrofe irreversível.

“A sustentabilidade e os negócios não têm de ser mutuamente exclusivos e é um motor de inovação estruturante na sociedade contemporânea e essencial no bem-estar social”

Os 17 ODS da Agenda 2030 abrangem temas tão vastos quanto erradicação de pobreza, saúde de qualidade, igualdade de género, redução de desigualdades sociais, energias renováveis e acessíveis, entre outras.

O Fórum Global de Economia sustentável agora anunciado na Nova School of Business & Economics, em Carcavelos, estreia-se em abril de 2019 e decorre de 15 a 19 desse mês. É organizado pela Câmara Municipal de Cascais, Aliança ODS Portugal e Sustainable Society Initiative, e conta com o apoio da UN Global Compact. O Fórum pretende reunir empresários, cientistas, académicos, legisladores, juristas e líderes do terceiro setor e das agências da ONU, bem como parceiros e meios de comunicação social com o objetivo promover e articular a implementação dos 17 ODS e 169 metas associadas da Agenda de Desenvolvimento Sustentável de 2030 da ONU.

Beto Pires Ferreira, CEO da Sustainable Society Initiative, afirmou que o “Fórum Global De Economia Sustentável será uma plataforma com características únicas, independente e imparcial, e não vinculado a interesses especiais.” O único foco do Fórum, diz, será “o interesse público mantendo os mais altos níveis de governança, ética e transparência, e a integridade moral e intelectual estará no centro de tudo o que fizermos.”

“O Fórum Global de Economia sustentável é um evento único que irá reunir em Portugal especialistas e líderes mundiais para tratar as questões da sustentabilidade ambiental, social e económica, e fazer avançar a Agenda 2030 da ONU”

A mensagem do Fórum também foi que a sustentabilidade e os negócios não têm de ser mutuamente exclusivos. Beto Pires Ferreira diz que “a sustentabilidade é um motor de inovação estruturante na sociedade contemporânea e essencial no bem-estar social e sobrevivência do planeta.” Por outro lado, “sete em cada dez millenials querem trabalhar em empresas com propósito e ligar-se a marcas sustentáveis que partilhem dos seus valores.  E três vice-presidentes de marketing dos três maiores anunciantes do mundo disseram que as marcas que ainda não conseguiram entender ou não pensam em incorporar a sustentabilidade ambiental e social nos seus negócios não estarão no mercado em 30 anos.”

“As marcas que ainda não conseguiram entender ou não pensam em incorporar a sustentabilidade ambienta e social nos seus negócios, não estarão no mercado em 30 anos”

Já Mário Parra da Silva, Chair do Board da UN Global Compact Network Portugal, afirma que “queremos que o Fórum Global de Economia Sustentável seja um evento muito importante no sentido da promoção e cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Estamos confiantes que a plataforma hoje apresentada será uma referência mundial na área da sustentabilidade e que a Europa e Portugal assumirão um protagonismo central nessa agenda.”