Rede SIRESP falhou mais de 9 mil horas em 2017

9 mil horas: foi este o tempo que a rede SIRESP, sistema de comunicação entre as forças e serviços de segurança, esteve inoperacional em 2017. A informação foi avançada pelo Ministro da Administração Interna, hoje presente no Parlamento.

“O levantamento que foi feito aponta para nove mil horas de indisponibilidade da rede SIRESP em 2017, e daí tiremos sem demagogias as responsabilidades necessárias”, afirmou Eduardo Cabrita, ao fazer o balanço das operações.

Num ano marcado pela maior área ardida de que há registo, a notícia de que esta rede tinha estado sem funcionar durante 9 mil horas provocou reacções de surpresa nas bancadas parlamentares.

Desde há muito envolto em polémica, o SIRESP é “um sistema único, baseado numa só infra-estrutura, nacional, partilhado, que assegura a satisfação das necessidades de comunicações das forças e serviços de emergência e de segurança, satisfazendo a intercomunicação e a inter-operabilidade entre aquelas forças e serviços e, em caso de emergência, permite a centralização do comando e da coordenação”, conforme está explicado no site desta rede de comunicação.

Questionado sobre o que está a ser feito neste momento para prevenir os incêndios do próximo Verão, Eduardo Cabrita anunciou serão feitas melhorias na rede, com a instalação de 451 antenas nas áreas consideradas de maior risco de incêndio. O ministro da Administração Interna comunicou que já foram adquiridas as unidades móveis que vão integrar o SIRESP.

Foto: via Creative Commons