Só em Abril será possível pescar sardinhas outra vez

O despacho, hoje publicado, informa que a pesca da sardinha ficará interdita até finais de Abril. Motivo? Poupar um “recurso de valor e interesse estratégico”, declarou a ministra do mar, Ana Paula Vitorino.

Até 30 de Abril, a captura, manutenção a bordo e descarga de sardinha ficará assim interdita, independentemente da arte de pesca utilizada.

Com elevada importância para a industria conserveira, bem como para as exportações de produtos de pesca e mar, a sardinha assume particular relevância na economia portuguesa. “É pois essencial que este recurso seja explorado de modo a garantir, no longo prazo, a sustentabilidade ambiental, económica e social da pescaria, dentro de uma abordagem de precaução, definida com base nos dados científicos disponíveis, procurando-se simultaneamente assegurar os rendimentos da pesca e dos seus profissionais”, justifica Ana Paula Vitorino.

Garantir a sustentabilidade desta espécie a longo prazo é o objectivo comum de Portugal e Espanha, que se unem num plano de “recuperação e gestão da pesca da sardinha” entregue agora à Comissão Europeia. Entre as medidas estabelecidas por este plano encontra-se a redução das descargas totais da sardinha, e uma aposta nas propostas cientificas que fazem, periodicamente, a avaliação do estado deste recurso.

Pareceres científicos, como o publicado em Outubro do ano passado, que aconselhava a proibição da sardinha em 2018 para Portugal e Espanha, uma vez que o “stock” desta espécie registava uma redução acentuada, passando de 106 mil toneladas em 2006 para 22 mil toneladas em 2016.

Ainda em 2016, o Conselho Internacional para a Exploração do Mar (ICES) alertava as autoridades portuguesa para os perigos que esta espécie enfrenta, recomendando mesmo que a pesca da sardinha fosse proibida por um período não inferior a quinze anos, para que o ‘stock’ da espécie regressasse a níveis considerados aceitáveis.

Foto: Sue Langford / flickr

Patrocinadores