Tailândia: ONG pede a turistas para não aceitarem massagens de elefantes

Não se deixem massajar, por favor!

Turistas que viajam para destinos tailandeses, como Phuket, estão a ser aconselhados a não receberem massagens feitas por elefantes, animais que são sujeitos a tratamento cruel para que possam prestar estes serviços.

O serviço é simples: o cliente mantém-se de barriga para baixo, na praia, enquanto um elefante, liderado por um treinador, massaja as suas costas com os pés e tromba. No entanto, os activistas pelos direitos dos animais têm denunciado que os animais são retirados das suas mães enquanto bebés e sujeitos a tratamentos cruéis – um deles envolve ficarem numa jaula com as pernas e cabeça para baixo, sem se mexer.

Os elefantes são ainda agredidos com paus, correntes, ganchos e mantidos em situações de privação de sono, sede e fome. Por vezes, o tratamento é tão violento que os animais acabam por morrer, denunciam os activistas.

“Os turistas pensam que actividades como andar de elefante não fazem mal, mas a verdade brutal é que o espírito destes animais é quebrado a um ponto em, que para um humano se envolver com eles, é porque existe uma grave situação de crueldade”, explicou ao The Dodo Jan Schimdt-Buarbach, veterinário da World Animal Protection.

Foto: Stephen Lai / Creative Commons

Deixar uma resposta

Patrocinadores