União Europeia aprova financiamento público para construção de central nuclear no Reino Unido

A União Europeia aprovou hoje o financiamento público para a construção da central nuclear de Hinkley Point, no Reino Unido, um projecto avaliado em €20,3 mil milhões e que será desenvolvido pela EDF.

Segundo o Business Green, o Colégio de Comissários votou 16-5 a favor do projecto, que precisava de 15 votos a favor para ir para a frente. Esta decisão é fundamental para que o Reino Unido dê seguimento ao seu plano de construir uma nova série de centrais nucleares, apesar de todas as questões ambientais que tais projectos levantam no seio da União Europeia – países como a Áustria, que baniram a energia nuclear do seu mix energético, deverão queixar-se da votação.

Na última semana, uma série de Organizações Não-Governamentais, incluindo a portuguesa Quercus, tinham já criticado a votação, acusando o ainda presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso de se preparar para deixar “um dos piores legados na área da energia”, uma vez que contribuiu activamente “para a redução dos apoios às energias renováveis e à eficiência energética”, promovendo “o apoio público às fontes de energia mais poluentes e menos sustentáveis”.

“Este é o tipo de decisões que afasta cada vez mais os cidadãos europeus das instituições europeias. Durão Barroso terá contribuído para uma Europa menos sustentável e menos coesa”, explicou Nuno Sequeira, presidente da Quercus.

“Se este acordo for aprovado, a Comissão ainda em funções deixará Bruxelas num carro de fuga após o assalto do século. Os contribuintes ficarão com a obrigação de pagar uma das centrais nucleares mais caras do mundo e assumir os custos, caso as coisas não corram bem, enquanto a EDF embolsará os subsídios”, concluiu Andrea Carta, da Greenpeace UE.

Foto: Rodrigo Gómez Sanz / Creative Commons

Deixar uma resposta

2 comments

  1. Joaquim Baptista

    uma vergonha

Patrocinadores

css.php