Dia da Desertificação e Seca: transformar terras degradadas em saudáveis para salvar o planeta

À medida que a população do mundo cresce, aumenta também a procura por terras para construção, cultivar alimentos e pastos intensivos.

Toda esta atividade está a tornar as áreas férteis cada vez mais áridas, provocando desertificação e seca. Hoje, 17 de junho, celebra-se o Dia da Desertificação e Seca, e segundo as Nações Unidas, este ano terá como foco a transformação de terras degradadas em terras saudáveis.

O Dia da Desertificação e da Seca – conhecido como Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca antes de 2020 – é comemorado todos os anos para promover a consciência pública sobre os esforços internacionais de combate à desertificação. O dia é um momento único para lembrar a todos que reverter a degradação da terra é possível através da resolução de problemas, forte envolvimento da comunidade e cooperação em todos os níveis.

Em 2021, o objetivo do Dia da Desertificação e da Seca é demonstrar que investir em terras saudáveis como parte de uma recuperação verde é uma decisão económica inteligente – não apenas em termos de criação de empregos e reconstrução de meios de subsistência, mas em termos de isolar as economias contra crises futuras causados por mudanças climáticas e perda da natureza, e na aceleração do progresso em todos os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável conforme nos recuperamos do COVID-19.

Restaurar terras degradadas traz resiliência económica, cria empregos, aumenta a renda e aumenta a segurança alimentar. Ajuda a recuperação da biodiversidade. Bloqueia o carbono atmosférico que aquece a Terra, desacelerando as alterações climáticas. Também pode diminuir os impactos das mudanças climáticas e sustentar uma recuperação verde da pandemia COVID-19.

De acordo com estudos recentes, hoje mais de dois mil milhões de hectares de terras anteriormente produtivas estão degradados e mais 300 milhões de hectares de terra serão necessários para a produção de alimentos até 2030.

Quase três quartos das terras sem gelo da Terra foram alteradas pelos humanos para atender a uma procura cada vez maior por alimentos, matérias-primas, estradas e casas. Consertar ecossistemas danificados atenua as mudanças climáticas e aumenta as defesas da natureza contra desastres e eventos climáticos extremos, como incêndios florestais, secas, inundações e tempestades de areia e poeira. Restaurar paisagens naturais reduz o contato próximo entre a vida selvagem e os assentamentos humanos, criando uma proteção natural contra doenças zoonóticas.

Evitar, desacelerar e reverter a perda de terras produtivas e ecossistemas naturais agora é urgente e importante para uma rápida recuperação da pandemia e para garantir a sobrevivência a longo prazo das pessoas e do planeta.

 

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...