Novo material absorve substâncias químicas tóxicas do ar



Existe um novo material, idêntico a uma esponja – ou até mesmo a um queijo suíço – que tem a capacidade de absorver substâncias químicas tóxicas presentes no ar. A criação foi desenvolvida por investigadores da Universidade de Limerick (UL), na Irlanda, que asseguram que se trata de uma solução que utiliza menos energia que as já existentes.

O material captura eficazmente o benzeno, o quinto composto orgânico mais utilizado no mundo, presente na indústria química, petroquímica e nas siderurgias, integrando a produção de plásticos e de aditivos de combustíveis. Através dos seus buracos, as moléculas do benzeno são atraídas e retiradas do ar – mesmo que exista apenas 1 parte em 100.000.

“Uma família de materiais porosos – como esponjas – foi desenvolvida para capturar o vapor do benzeno do ar poluído e produzir um fluxo de ar limpo por um longo período de tempo”, explica o professor e investigador Michael Zaworotko, do Instituto Bernal da UL.

A solução inovadora pode ser uma ajuda no combate às alterações climáticas, contribuindo para a futura captura de outros poluentes presentes no ar.

“Esta investigação abriu possibilidades para desenvolver materiais porosos para uma separação eficiente destes produtos químicos, com um baixo consumo de energia, bem como a remoção de outros poluentes do ar.”, afirma a investigadora Xiang-Jing Kong do Departamento de Ciências Químicas da UL.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.