A adega de Alcobaça que dá Casanova à “fruta feia”

A ginja, vermute e gin estão entre as bebidas artesanais produzidas. Gin Casanova é o único a ter certificação da Maça de Alcobaça e o primeiro a usar vidro reciclado.

A Lemos Figueiredo – Adega das Frutas de Alcobaça é uma empresa familiar dedicada à produção de bebidas artesanais e que utiliza as frutas da região. Depois da ginja – já premiada internacionalmente – e vermute, seguindo as tradições centenárias da família, a adega lançou agora o Casanova, um dry gin que se distingue não só pelo uso da Maça de Alcobaça na destilação, como pelo cariz sustentável: utiliza fruta feia, não comercializável, e apresenta-se numa garrafa de vidro reciclado, com um rótulo de papel cotton, reciclável, biodegradável e livre de plástico.

“Sabemos que, hoje, não basta ter um bom produto, é importante ter um produto que marque pela diferença e que acompanhe as preocupações dos consumidores – e a sustentabilidade é uma delas. Estima-se que, na União Europeia, 50 milhões de toneladas de frutas e legumes vão para o lixo todos os anos; e, em Portugal, segundo o PERDA, 1/3 da fruta produzida também é desperdiçada. São números alarmantes e com grande impacto a nível ambiental e social. Com o Casanova, quisemos dar o nosso contributo para travar esses números, usando exclusivamente as maças habitualmente rejeitadas pelo consumidor por não serem bonitas. Mas fomos mais além, com uma garrafa reciclada e um rótulo também sustentável. Assim, a cada copo, o consumidor sabe que está a contribuir para um mundo melhor”, explica Mariana Figueiredo, master distiller e responsável de marketing da Lemos Figueiredo.

O Casanova é o primeiro gin em garrafa de vidro reciclado, contribuindo igualmente para a diminuição da produção de dióxido de carbono nesse setor: por cada seis toneladas de vidro reciclado utilizado, a produção de CO2 é reduzida em uma tonelada. A utilização de vidro 100% PCR (vidro reciclado pós-consumo) faz com que não existam duas garrafas iguais e essa imperfeição é aceite tal como acontece com as maças Casa Nova utilizadas, que dão o nome ao produto. À fruta juntam-se 11 botânicos, com destaque para o cardamomo, que culminam num dry gin leve, fresco e perfumado.

Na impossibilidade de marcar presença em eventos e bares, dada a pandemia, a estratégia da marca passa, para já, pelo digital, com foco na loja online. em www.lemosfigueiredo.pt.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...