A atividade humana ou as alterações climáticas: afinal, o que levou o mamute à extinção?



Os mamutes desapareceram do Planeta Terra há cerca de 4 mil anos atrás e até hoje, apontava-se que o Homem teria sido o principal responsável pela sua partida. Agora, um novo projeto de investigação da Universidade de Cambridge e da Universidade de Copenhaga, indica que as alterações climáticas foram o fator que os levou à extinção.

Este animais viveram cerca de 5 milhões de anos, e durante 2 mil anos partilharam espaço com o homem primitivo. Além de se terem tornado uma fonte útil de alimentação, as suas peles, ossos e chifres foram também importantes para a sobrevivência do ser humano na época.

“Os humanos têm sido culpados porque os animais sobreviveram durante milhões de anos sem que as alterações climáticas os matassem, mas quando viveram ao lado dos humanos, não duraram muito tempo e nós fomos acusados ​​de caçá-los até a morte”, explica Eske Willerslev.”Finalmente fomos capazes de provar que não só as alterações climáticas eram o problema, como também a velocidade com que ocorreram, que foi o último prego no caixão – eles não foram capazes de se adaptar com rapidez suficiente quando a paisagem se transformou dramaticamente e sua comida se tornou escassa”.

As mudanças no clima levaram ao aumento da precipitação e ao consequente degelo, que acabou por formar lagos, rios e pântanos. Isto levou a uma alteração nos ecossistemas e na vegetação, que acabou por diminuir, ficando os rebanhos sem alimento suficiente para sobreviver.

“Esta é uma lição dura da história e mostra como as alterações climáticas são imprevisíveis – uma vez que algo é perdido, não há como voltar atrás. A precipitação foi a causa da extinção dos mamutes lanudos através das mudanças nas plantas. A mudança aconteceu tão rapidamente que eles não conseguiram se adaptar e evoluir para sobreviver”, conclui Eske Willerslev.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.