A criatura marinha que se assemelha a uma peúga roxa (com FOTOS)

A peúga roxa do mar

Durante 65 anos, os cientistas tentaram descobrir para que serve ou qual o lugar, no reino animal, da xenoturbella, uma criatura que vive nas profundezas do mar e que é semelhante a uma meia ou peúga roxa – provavelmente suja.

No entanto, a recente descoberta de quatro novos espécies de xenoturbella no Oceano Pacífico levou os cientistas a concluir que o animal pertence a um dos mais antigos ramos na vida da Terra, segundo defendeu o pesquisador-chefe, Greg Rouse, na revista Nature.

“Costumávamos chamar o animal de peúga roxa. Ele parecia exactamente isso – ou um balão murcho”, escreveu Rouse.

Descrita pela primeira vez em 1949, a “peúga roxa” não tem olhos, cérebro ou intestino. Tem, isso, sim, uma pequena boca, que recebe alimentos e descarta os resíduos. “Só come, expele [os alimentos] e reproduz-se”, explica o The Dodo.

Numa primeira fase, os cientistas classificaram a xenortubella como um molusco. Mais tarde, outros cientistas acreditavam que esta pudesse ser uma criatura sofisticada que se tinha livrado dos elementos mais completos durante a sua evolução.

Com a descoberta das quatro noves espécies, foi possível investigar melhor a meia roxa. Através de minissubmarinos remotos, foi possível, entre outras coisas, filmar as criaturas pela primeira vez. Assim, a investigação identificou uma nova espécie, com mais de 20 centímetros de comprimentos – xenoturbella monstrosa.

O animal foi encontrado a quase três quilómetros de profundidade, no golfo da Califórnia (México). Há ainda a xenoturbella churro, que se parece com o tradicional doce frito. Com estas novas inclusões na família, os investigadores puderam realizar testes genéticos mais completos e reforçar a hipótese de que estes animais foram um grupo até agora desconhecido de organismos bilaterais. “São um grupo bastante produtivo”, concluiu Rouse.

Deixar uma resposta