A “Orca” já está a capturar CO2 na Islândia

No passado dia 8 de setembro foi inaugurada na Islândia a primeira e maior central de captura e armazenamento direto de ar do mundo. A “Orca” está situada no Parque Geotérmico de Hellisheidi, na Islândia, e resulta de uma parceria entre a Climeworks, a Carbfix e a ON Power.

No intuito de combater as alterações climáticas, a Orca vai retirar 4 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) anualmente da atmosfera – o equivalente às emissões de cerca de 870 carros. Através dos oito recipientes instalados, compostos por ventiladores e filtros, vai ser possível capturar do ar o composto químico com toda a segurança, armazenando-o no subsolo mediante um processo de mineralização natural. O CO2 é então transformado em pedra.

A construção iniciou em maio de 2020 e procurou causar o mínimo impacto ambiental; o aço utilizado nas unidades foi reduzido para metade e o seu funcionamento é totalmente à base de energia renovável.

“Esta instalação demonstra que a remoção do dióxido de carbono em grande escala é tanto possível como necessária”, afirma Jan Wurzbacher, co-CEO da Climeworks. Christoph Gebald, também CEO da empresa, acrescenta: “Estamos orgulhosos, entusiasmados e muito felizes por ter chegado a esta fase na nossa caminhada para reverter as alterações climáticas. A Orca é agora uma realidade e é o resultado de esforços conjuntos de todas as partes envolvidas”.

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.