Actividades de lazer ligadas à pesca lideram mortes por relâmpago

O Serviço Nacional de Meteorologia da NOAA descobriu que 64% das mortes registadas desde 2006 devido a relâmpagos ocorreram enquanto as pessoas estavam a participar em actividades de lazer. A pesca está no topo da lista com 26 mortes.

O especialista John Jensenius conduziu o estudo através da análise de informações demográficas de 238 mortes atribuídas a relâmpagos, ao longo dos últimos sete anos. A NOAA lançou estes resultados numa chamada de atenção para o perigo das actividades ao ar livre durante tempestades.

Das 152 mortes associadas a actividades de lazer, a pesca está no topo, seguida do campismo (15 mortes), da canoagem (14 mortes), do futebol (12 mortes) e do golfe (oito mortes). As restantes 77 pessoas foram atingidas enquanto participavam em outras actividades como natação, caminhadas e corridas, passeios em veículos recreativos, picnics ou descanso no quintal ou na praia.

Entre 2006 e 2012, 82% das pessoas mortas por relâmpagos eram do sexo masculino, avança o Science Daily.

Jensenius defende que o grande número de mortes registado em actividades como pesca, campismo e desportos náuticos ocorre porque essas acções exigem mais tempo para chegar a um lugar seguro. “As pessoas costumam esperar muito tempo para ir para segurança quando uma tempestade se aproxima e isso coloca-as numa situação perigosa e potencialmente mortal”, disse ele.

A melhor maneira de se proteger dos relâmpagos é cancelando actividades ao ar livre quando há previsão de tempestades. Os raios podem atingir a partir de 16 Km de distância – portanto, se ouve um trovão, corre o grande risco de ser atingido por um raio.

Os únicos lugares seguros são os edifícios com quatro paredes e um tecto ou os carros. Lembre-se: cabanas, tendas ou outros abrigos não protegem as pessoas de serem atingidas por um relâmpago.

Foto: Sob licença Creative Commons

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...