A multinacional afirmou que está empenhada em usar apenas plástico reciclado na sua gama de produtos e espaços a partir de 2024.

No caso da roupa, o objetivo de não usar plástico “virgem” refere-se ao poliéster. Além do empenho em parar de usar este tipo de plástico na sua roupa, a Adidas indica que vai também parar de usar plástico novo nos seus escritórios, lojas, armazéns e centros de distribuição já a partir de 2018. Esta decisão representa uma poupança anual de 40 toneladas de plástico.

No campo da roupa, a empresa diz que a linha de verão 2019 já terá 41% de poliéster reciclado. A empresa espera também um aumento nas vendas da sua gama de ténis Parley, para 5 milhões de pares este ano – em 2017, foram vendidos um milhão. Estes ténis são feitos com desperdício de plástico recolhido antes de chegar aos oceanos.

 

Luta ao plástico em várias frentes

O combate ao plástico tem estado em destaque nos últimos dias. A República Dominicana, mais conhecida por ser um destino de férias paradisíaco, viu as suas praias serem invadidas por um mar de plástico. A ONG Parley Oceans recolheu 30 toneladas de lixo deste tipo em apenas três dias.

Aqui mais perto, em Lisboa, a Câmara Municipal decidiu acabar com o serviço de catering que recorre a cuvetes de plástico para servir refeições a crianças nas escolas do 1º ciclo e jardins de infância. São 50 toneladas de plástico por ano que se poupam e que se evita que, em última análise, vá parar ao mar.

A McDonalds e a Starbucks juntaram-se para criar copos totalmente recicláveis e compostáveisnos próximos três anos, uma iniciativa louvável dado que as duas empresas são responsáveis por 4% dos 600 mil milhões de copos de plástico descartável que são produzidos anualmente em todo o mundo.

Por fim, o Lidl vai deixar de vender plástico descartável em Portugal. A cadeia anunciou que a partir de agosto, os seus supermercados vão deixar de vender produtos de plástico descartável, como copos e pratos.