Alemanha: dependência do carvão ameaça cidades inteiras

No ano passado, as fontes renováveis atingiram os 25% da capacidade total de energia na Alemanha. Ainda assim, o país ainda depende muito da extracção de carvão: o uso desta energia atingiu os valores mais altos dos últimos 20 anos, refere o Inhabitat.

Embora seja considerado um dos países mais progressistas do mundo em termos de produção de energia limpa, a Alemanha depende muito do carvão. Assim, várias cidades que datam da Idade Média vão ter de ser transferidas para outros locais para que as empresas de mineração as possam explorar.

A pequena cidade de Atterwasch, na área de Brandemburgo, será relocalizada, assim como a aldeia de Proschim – com 700 anos. Também uma igreja de Magdeborn será mudada de local.

No ano passado a Alemanha exportou mais energia do que importou, algo que poder ser atribuído ao aumento da quantidade de energia produzida em centrais de carvão e antracite. Mesmo que o país estabelecesse uma meta para eliminar a sua dependência de combustíveis fósseis até 2050, as emissões de carbono continuam a aumentar apesar do desenvolvimento das indústrias de energia solar e energia eólica.

Alguns especialistas acreditam que esta situação pode ser explicada pelos preços baixos das licenças de dióxido de carbono no regime de comércio da União Europeia. A imposição de regras mais rigorosas sobre os poluidores de carbono a nível europeu poderá ser a única solução para o problema da energia actual que ameaça a Alemanha.

Foto: Bert Kaufmann / Creative Commons

Deixar uma resposta

Patrocinadores