Amazon foi responsável por 272 milhões de kg de resíduos plásticos em 2020



As compras no online são cada vez mais populares, mas o seu impacto real no Planeta é ainda incompreendido por muitos. Embora seja uma forma de poupar muitos outros recursos, a maneira como as empresas fazem as suas entregas, bem como as próprias embalagens que utilizam, têm um peso no ambiente.

De acordo com o mais recente relatório da Oceana, Organização Não Governamental de conservação dos oceanos, a Amazon contribuiu em 2020 para a produção de 272 milhões de quilogramas de resíduos de plástico. Estes dados demonstram um aumento de 29% face a 2019.

Em causa está a utilização de embalagens de plástico, filme plástico, almofadas de ar e plástico de bolhas nas encomendas. Estima-se que 10.7 milhões de quilogramas de resíduos foram parar aos cursos de água em todo o mundo, o equivalente ao despejo da carga de uma carrinha de entregas a cada 67 minutos, no oceano. Só os resíduos das embalagens em formato de almofada de ar deram a volta ao Planeta mais de 600 vezes, referem os especialistas no documento.

Em resposta à publicação, a Amazon deixou claro que “os cálculos falham seriamente” e que a organização “superestimou a utilização de plástico em mais de 300%”. A empresa admitiu ainda que está a trabalhar na redução e remoção dos plásticos descartáveis das suas encomendas a nível mundial. “Como cofundadora do The Climate Pledge, a Amazon está comprometida em proteger o planeta e atingir o nível zero de carbono até 2040”, remata.

Esta situação é preocupante dado que, 100% das tartarugas marinhas, 70% dos mamíferos marinhos e 55% das aves marinhas, já ingeriram ou foram encontradas com resíduos plásticos no seu corpo. Além das espécies, os ecossistemas marinhos sofrem também consequências negativas a longo prazo.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.