As empresas são fundamentais no combate às alterações climáticas

Por: Fernando Braz, Country Leader da Salesforce em Portugal

A pandemia de Covid-19 mostrou-nos que, enquanto seres humanos, estamos todos conectados. Esta nova realidade com que nos estamos a confrontar pode ser muito bem comparada aos desafios da emergência climática que também estamos a enfrentar: ambas exigem uma resposta global, um pensamento a longo prazo e que as empresas façam a sua parte.

Se é verdade que, devido à pandemia, podemos observar os níveis mais baixos de poluição do ar e emissões de gases de efeito estufa devido à redução de viagens e ao deslocamento diário, também é verdade que estes números podem dar-nos pouco conforto, visto que estamos a viver uma crise de saúde global. No entanto, este exemplo demonstra a força da Humanidade quando está toda a remar na mesma direção e trabalha em conjunto. Durante muito tempo as empresas ignoraram o impacto ambiental das suas ações e descartaram a sustentabilidade como sendo algo opcional. Como empresas, falamos muito sobre a importância das partes interessadas – incluindo os colaboradores, os parceiros e as comunidades – mas não há nenhuma parte interessada maior do que o nosso planeta.

A 22 de Abril celebrámos o Dia da Terra, sendo este um momento muito oportuno para reforçarmos como é tão importante cuidarmos do nosso planeta e protegermos o ambiente que nos rodeia. À medida que o relógio das mudanças climáticas continua a avançar, é fundamental que as empresas desempenhem o seu papel na construção de um futuro mais sustentável – quer seja em termos de desenvolvimento de produtos mais sustentáveis, ao utilizarem as suas tecnologias para o bem ou incorporando modelos e práticas de negócios mais verdes.

E como podem as empresas contribuir?

Em primeiro lugar, as empresas devem garantir que os seus objetivos de sustentabilidade estejam alinhados com as estratégias de crescimento a longo prazo e com as prioridades financeiras e operacionais. Se uma empresa toma decisões com base nos seus valores, estes podem explicar o alinhamento de valores de sustentabilidade. Se uma empresa toma decisões com base em dados económicos precisos, então estes dados podem fazer o business case. Como é óbvio, as organizações variam no seu tamanho e pegada de carbono, mas todos nós podemos dar prioridade à sustentabilidade como qualquer outra meta corporativa, e responsabilizar os nossos esforços.

O compromisso para medir o progresso, reportando com regularidade e de forma transparente, ajudará a construir a confiança entre todas as partes interessadas. E quando ganhamos confiança, é certo que podemos inspirar outras pessoas. É por isso que é tão relevante que se construam relatórios para todos os que estão envolvidos no negócio de uma empresa, de forma a mantê-los informados, e para que possam acompanhar o progresso e apoiar o trabalho feito. Ao integrarmos o bem social em tudo o que fazemos e ao alavancarmos a paixão de todos os colaboradores pela sustentabilidade, estamos a dar mais um passo importante para que as empresas possam ser a maior plataforma de mudança.

Mas tal como acontece com a crise de saúde pública global, não podemos enfrentar sozinhos os desafios das mudanças climáticas. Os líderes devem olhar para o futuro a uma distância de meses, anos e até décadas, mas exigindo para hoje uma ação que possa fazer a diferença. Não temos todas as respostas, mas reunir as pessoas, colaborar com outras empresas, com o setor público e com as ONGs é um passo fundamental para impulsionar uma mudança positiva.

Cada vez mais, as empresas reconhecem que as suas ações, valores e a capacidade de gerar lucros estão a tornar-se mais interligadas. Aos olhos das partes interessadas e das expectativas crescentes dos jovens – futuros clientes, colaboradores, parceiros – se não estamos a servir os interesses do planeta, então também não estamos a servir os seus interesses. O Mês e o Dia da Terra proporcionam então um lembrete oportuno para nos reconectarmos com a natureza e valorizarmos o meio ambiente, para estimularmos o nosso poder conjunto enquanto povo, na missão de reduzir o impacto no planeta. Juntos, podemos fazer hoje o que sabemos que o amanhã exige de todos nós.

Fernando Braz, Country Leader da Salesforce em Portugal

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.